(Foto Ilustraviva)

EDUCAÇÃO HUMANIZADA PARA PROFISSIONAIS DE SAÚDE EM TODO O PROCESSO DE ACOLHIMENTO E ATENDIMENTO!

A Medicina é uma arte e para realizá-la como arte, requer uma devoção tão exclusiva, um preparo tão rigoroso como a obra de um grande pintor ou escultor. Esta verdade nos leva a pensar nas ações em cadeia que os diversos agentes exercem sobre o paciente, que como o barro, pode ou não chegar em condições de ser moldado, interferindo diretamente no resultado final da obra.
(Prof. Múcio Morais)

PALESTRA E/OU WORKSHOP
Médicos, Enfermeiros, Técnicos, Terapeutas, Agentes de Saúde, Gerentes e Administradores, Atendentes e profissionais ligados de alguma forma à área da saúde.

O prof. Múcio Morais realiza estas palestras usando técnicas de neurolinguistica, tratando de forma dinâmica, reflexiva e bem humorada das questões fundamentais na cadeia de atendimento médico, revendo comportamentos, valores e conceitos, abrindo perspectivas e quebrando MITOS!

A logística de atendimento humanizado envolve
todo o processo terapêutico!

Uma cadeia de ações que podem fazer toda a diferença para o bem ou para o mal. Chamo de logística de atendimento; A percepção, por parte dos colaboradores, desde o segurança, a recepcionista, passando por enfermeiros, pessoal de triagem, técnicos de radiologia, laboratório, faxineiros, copeiros e aí você me pergunta: Esse cara está falando sério? Realmente é lúcido colocar toda essa turma no mesmo contexto com os Especialistas? Continua no site: www.muciomorais.com/artigo91.html

BASES DA AUTO-RECUPERAÇÃO

Conhecendo os processos de adoecimento dos indivíduos podemos entender as bases emocionais que necessitam de maior apoio para dar início a um processo de cura à partir do atendimento.

ENTENDENDO NOSSA BIOLOGIA

Somos seres capazes de modificar nossos processos químicos simplesmente pela mudança de nossos estados emocionais. É importante conhecer as reações e características que mostram a rota de um paciente. É preciso entender onde e como mudá-la.

PROCESSOS DE PNL  / EMOTOLOGIA

Como mudar um estado emocional? Como interferir numa história de vida? Como ajudar o paciente a iniciar um processo de renovação? Especialmente quando temos tão pouco tempo com um paciente, o que podemos fazer para ajudá-lo a mudar a sua própria história?

ESSAS E OUTRAS QUESTÕES FAZEM PARTE DESSE MOMENTO COM OS PROFISSIONAIS DE SAÚDE!

Envie-nos seu briefing com suas necessidades e faremos as inclusões e adaptações para atendê-lo.

Programação básica sugerida!

O Programa inicial de Humanização na Saúde, normalmente tem sua programação feita EM UMA SEMANA, com carga horária média de 05horas/DIA, desta forma os coordenadores podem dividir suas equipes e todos participam igualmente na grade que é repetida a cada dia;

Médicos, Enfermeiros, Técnicos e Funcionários Administrativos que atuem de qualquer forma na saúde devem participar desse programa.

Programação  do Workshop:

Princípio e Valores da Humanização
A Humanização como Processo de mudança
A Reforma ético, político e cultural  (A Nova Ética de um Novo País)
A organização hospitalar no Brasil
As interfaces da Humanização Hospitalar
Exemplos de experiências de Humanização na área da Saúde (Cases e idéias)

A logística de atendimento humanizado e o Processo terapêutico
BASES DA AUTO-RECUPERAÇÃO
Entendendo a nossa biologia e a relação humanizada da cura
Processo de PNL / Emotologia na humanização
Psicologia da Humanização

Humanização no Consultório
Você e a humanização –  “Coach da Vida e Auto-avaliação dos Profissionais”
Final: Grupo de Trabalho para apresentação de sugestões para a administração
                                      
                          
  • Certificamos os participantes e a entidade promotora; COD. CERT. SRFB 85.99-6-04 RF
  • Temos Atestado de Capacidade técnica da AMMG e outras instituições médicas.

Personalização do Conteúdo!

Você nos informa suas necessidades (Briefing) e nós preparamos a(s)apresentação(ções); Podemos incluir Encenações, StandUPs, Dinâmicas, Teatro Interativo e outras técnicas de apresentação.

No processo terapêutico, e no que considero o seu mais intenso fator, a relação “médico/equipe x paciente” tenho percebido ao logo dos anos, trabalhando com públicos de diversas idades e origens, conversando, aconselhando, aprendendo e convivendo, a uma exploração mais aprofundada da conexão mente-corpo (lendo, inclusive alguns livros do Dr. Daniel Redwood, Robert Diltz e outros),

 Do ponto de vista filosófico, espiritual e pessoal deveria haver  muitas influências na prática médica, isso porque a cada nova descoberta, a cada evolução, descobre-se que o centro de orientação humana (a mente e seu complexo sistema) tem muito mais poder do que se imagina.

A velha e boa medicina mecânica de todo dia, medicina técnica ortodoxa. Medicamentos, cirurgia e aplicações está se tornando  uma medicina “quase inadequada” se praticada exclusivamente nessa forma.  Em todas as vezes que falamos em situações envolvendo mente e corpo numa pessoa, estamos falando em uma “Mente” que afeta um cérebro, afetando um corpo, para o bem ou para o mal. É preciso então dar um enfoque filosófico-emocional ao caso, e nesse rumo caminhar terapeuticamente.

O presente com toda nossa tecnologia e evolução humana é a prática de uma medicina envolvendo mente e corpo. Percebendo, além, uma mente individual, formada por experiências particulares, com crenças e juízo de valores próprios, uma mente localizada no cérebro ou no corpo. É uma mente possivelmente afetando o corpo, através do pensamento e das crenças e limitantes.

Porque algumas terapias não funcionam? Simplesmente porque os pacientes não acreditam. Não foram trabalhados para isso. Não foram percebidos em seus limites, inclusive de crer nas orientações médicas: Por quê? Faltou-lhes a re-educação para a cura; Faltou a intervenção filosófico-emocional; Dá trabalho? Sem duvidas, mas também dá resultados.

Medicina não é uma ciência exata, como a física. E isso não deve ser motivo para um caso de complexo de inferioridade. Por volta de 1860, a década em que Lewis Thomas disse que a medicina se tornou uma ciência, a medicina queria incorporar a precisão e a previsibilidade das ciências exatas, cujo exemplo mais espetacular é a física.Mas sua inexatidão é verdadeira não só para a medicina, mas também para a economia, educação, psicologia e psiquiatria, muitas das ciências mais “flexíveis.”

Leia mais »

Leia mais sobre o evento »

Leia mais sobre o evento »

Leia mais sobre o evento »

Leia mais sobre o evento »