Múcio Morais

Palestrante / Educador

mensagem aos meus clientes e amigos;

Quando tomei a decisão de me tornar um "mensageiro" tinha em mente muitas coisas, mas em especial as pessoas que poderiam perceber, em minhas palavras, o sentido de direção, respostas, alívio, conforto, insight, e isso me fez abraçar forte minha carreira, desde o começo sempre pensei em "pessoas" como servi-las, como ajuda-las, como me relacionar com elas.

 

Eu já tinha a prática de falar em público, fiz parte de grupos de jovens e era dedicado à religiosidade, fiz seminário, participei de centenas de Congressos e fui Palestrante em muitos deles, inclusive internacionalmente, mas não tinha idéia de como seria viver em prol de levar uma "mensagem".

 

Em 1987 tive meu primeiro cliente, obviamente ele não soube disso, mas lá estava ele me aguardando e cheio de expectativa, era uma grande empresa com mais de 5000 funcionários, eram o verdadeiro status quo da empregabilidade e lá estava eu, olhando para uma plateia ansiosa por algo que valesse a pena, peguei meu esboço e começei a falar, contei um "causo" e em seguida uma piada, o pessoal se comoveu com o "causo" e riram muito na piada, mas, percebi logo que meu esboço cuidadosamente preparado ao longo da semana seria insuficiente, dado o nível de ansiedade daquelas pessoas, então tomei a mais sábia das decisões, sem sair do tema, e eu o dominava, começei a falar com a "voz do coração" sem medo, sem técnicas, sem necessidade de impressionar, apenas a necessidade de construir algo nas pessoas, ao longo da fala, compartilhamos, sorrimos, choramos, brincamos, refletimos e ao final havia um grupo de pessoas inspiradas e sensíveis à mudar o que fosse preciso para viver melhor. Não preciso dizer que este cliente está comigo até hoje.

 

Esta experiência me ensinou muito, percebí que as pessoas querem aprender mas precisam de algo além, uma voz, uma frequencia que alcance suas necessidades e anseios mais profundos. As pessoas precisam ser amadas. Parece estranho dizer que se pode amar um grupo de pessoas que se encontra uma vez por ano para uma Palestra, concordo, é estranho sim, mas até mesmo amar é uma decisão e sempre que falo para qualquer público em qualquer parte eu tomo a decisão de amar para conseguir enxergar seus anseios e poder servi-los. São pessoas como a minha família ou meus amigos, então não é tão complicado assim.

 

Ao longo dos anos, já são mais de 30 anos, fui aprendendo o quanto o "ser humano" é importante e como eu deveria ajudar as pessoas a perceber o valor "do outro" tenho me dedicado a isso nas empresas e demais organizações e posso dizer que já observei verdadeiros milgares.

 

Certa ocasião estava em uma cidade do interior de Minas Gerais falando para um grupo de pouco mais de 300 professores, era uma Capacitação de três dias, falava sobre a intensidade das relações familiares, do amor entre Pais e Filhos e como este processo interfere na relação com nossos alunos, de repente um choro e uma linda Professora olhando nos meus olhos me disse: Prof. Múcio, eu nunca abraçei o meu Pai, ele jamais permitiu contatos mais próximos, mais íntimos, nunca! Parei a dissertação e começei a falar com ela sobre as possibilidades dentro daquela situação, e enquanto eu falava outros começaram a se manifestar denunciando a falta de carinho em seus lares, enfim, fizemos um pacto de amor onde todos chegariam em casa e procurariam seus Pais para uma declaração contundente de amor, respeito, gratidão juntando a isso um pedido de um abraço carinhoso. Alí mesmo ensaiamos tudo, era o melhor que eu tinha para oferecer, no outro dia chegaram os Professores, eu estava ansioso para saber os relatos, e, quase sem excessão escutei histórias lindas de lágrimas, gratidão, abraços e beijos.

 

Aprendi isso, o amor é a maior força do universo. Alguns dias depois, já em casa, recebí uma ligação daquela Professora dizendo: Prof. Múcio, meu Pai faleceu, mas eu pude realizar meu maior sonho antes dele partir, dizer o quanto o amava e dar muitos abraços e beijos nele, sim, porque depois daquele dia ele queria ser abraçado sempre. Muito Obrigado!

 

A missão de "mensageiro" é uma missão desafiante, uma busca de aprendizado diáriario, além de ter me tornado um amante dos livros e cursos, fico atento a cada palavra, cada sinal, cada situação, tentando aprender e tirar alguma lição para colocar na prática em minha vida e poder levar aos outros, sim, porque o mensageiro tem que ter sua base na "verdade" é isso que traz poder aos que se ensina, as pessoas não apreciam muito teorias frias ou receitas de bolo que não foram testadas. Aprendi a não tentar ser modelo de perfeição, mas um modelo de sinceridade de um homem que acerta e erra, que cai e levanta, as vezes demora a se levantar, aprendi que as pessoas respeitam quem não sabe a resposta sempre, se confunde, se enrola, mas se mostra autêntico, real e consegue seguir cultivando a felicidade e mantendo a paz interior.

 

Essa é a missão: "Ajudar pessoas, empresas e organizações a encontrar direção, satisfação e excelência na vida"; Será um privilégio cruzar seu caminho, entrar em sua empresa, levar um pouco de cada um e deixar um pouco de mim, espero que esse momento esteja perto,

 

Um abraço e uma boa vida a todos!